6.nov.2012
Algumas subtis alterações no Facebook

Algumas subtis alterações no Facebook...


Quase de forma despercebida, o Facebook introduziu recentemente algumas alterações, que resultam nalgumas mudanças quanto à visibilidade de páginas mas, aparentemente, também de perfis pessoais. Estas alterações estarão inseridas na necessidade de aumentar o retorno do Facebook, algo especialmente notório desde a entrada em bolsa da principal rede social mundial.

Mas no que consistem as modificações em curso e qual o impacto das mesmas?

Basicamente, o Facebook pretende que os seus principais utilizadores, sejam grande empresas ou particulares, comecem a utilizar, de forma mais regular, o novo serviço de posts promovidos e de histórias patrocinadas. Como compensação para quem o fizer e logo, se tornar um membro pagante, terá maior visibilidade, aumentando a probabilidade dos seus conteúdos serem mais vistos, daí gerando maior retorno, leia-se negócio e divulgação. Pelo contrário, quem pretender manter-se como até agora, com utilização gratuita ou investimento reduzido, poderá fazê-lo mas deverá contar com algum tipo de penalização, que se traduz exactamente em ter os seus conteúdos menos visiveis.

Esta acção tem mesmo já resultados medidos: actualmente, a taxa de alcance de um post será de apenas 15%, o que significa uma enorme diminuição de pageviews. Para compensar esta perda, uma empresa que queira recuperar os 85% de users que dantes alcançava sem custo, terá de começar a pensar em investir nas mencionadas histórias patrocinadas e posts promovidos. Um exemplo de quanto isto é interessante referir: para 10 posts diários, uma página com 50.000 seguidores, poderá ter de aplicar até 2.000 dólares... diários, de forma a chegar aos seus fans. Note-se que tal era conseguido de forma gratuita. Imagine-se uma empresa de maior dimensão, que publique mais que 10 vezes por dia e que tenha uma maior base de seguidores.

Por enquanto, esta questão ainda parece estar pouco presente e as discussões em torno do assunto, variam entre ser um assunto normal - uma forma de uma empresa capitalizar o seu enorme potencial – enquanto outros consideram esta acção uma jogada de risco – afinal de contas, passar a cobrar por um serviço que era gratuito pode levar as empresas a pensarem duas vezes no retorno, para além de poder vir a ser aproveitado por outros concorrentes sociais, como o Google+ ou o Twitter.

Outro ponto que tem sido levantado também tem interesse: não sendo novos, os posts promovidos eram mais usados por empresas menos conhecidas, normalmente de mais pequena dimensão, que assim viam uma possibilidade de se destacarem e ganharem alguma relevância. Com esta quase imposição do Facebook, torna-se uma necessidade para todo o universo de utilizadores passarem a recorrer a este sistema para se manterem visiveis, o que deixará os mais pequenos claramente para trás, por não poderem comportar um investimento que será por certo ainda mais elevado. Também para as agências de meios, que dependem do número de pageviews para fazerem o seu negócio, esta alteração terá um duro impacto, pois de um momento para outro vêem desaparecer 85% do seu inventário.

Será importante acompanhar como irá evoluir esta situação num futuro próximo e perceber a reacção daqueles que utilizavam o Facebook para se promoverem e agora terão de pagar para tal. Analistas indicam que este passo poderá ter sido em falso e que o Google tem nas mãos uma excelente oportunidade para dar o salto em frente e bater-se de igual, aproveitando o seu ainda carácter gratuito.
 


 











Artigos Relacionados



4.dez.2012
 
Formatos de Publicidade no Facebook – Ofertas Facebook – Parte 1
 
 
 
8.jan.2013
 
Formatos de Publicidade no Facebook – Histórias Patrocinadas e Posts Promovidos – Parte 2
 
 
 
13.set.2011
 
Anúncios no Facebook vistos por metade dos utilizadores
 
 
 
2.abr.2013
 
Em terra de Publicidade Display, o Google também é Rei
 
 
 
30.jul.2012
 
Estatísticas nas redes sociais
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting