29.abr.2014
Escrever para redes sociais

Como escrever para redes sociais?


Qual é a história que vamos contar? Para quem? Estas são questões chave cujas respostas são muito importantes para definir como escrever para as redes sociais.
Aquilo que escrevemos deve traduzir a personalidade da marca. Isto é, pensar um conjunto de características humanas associadas à sua marca. Pense na sua marca e tente dar-lhe um rosto. Pense na Coca-cola. Qual é o rosto da Coca-cola É uma marca honesta, alegre e genuína. E a sua?
 

Depois de definir a personalidade da marca, os próximos passos são identificar o público-alvo, saber qual é o posicionamento da marca e, por fim, reforçar os seus valores e interesses.
A partir daí, podemos pensar num copy persuasivo que realce os benefícios do seu produto ou marca. O texto deve convencer o público alvo a comprar o seu produto, a identificar-se com a sua marca.

Tente responder às seguintes questões: qual é a característica do meu produto que se relaciona com um desejo? Quais são os desejos que as pessoas têm que eu (marca ou produto) posso satisfazer? Saiba que a sua marca pode dar poder, independência, segurança, honra, idealismo, status, tranquilidade, etc.

A mesma mensagem escrita de diferentes formas

Escrever da mesma forma para todos os meios é ignorar as suas particularidades e reduzir a força da mensagem. Cada rede social tem a sua força. O conteúdo deve ser trabalhado respeitando este princípio. Deixamos alguns conselhos:

• Escreva para ser lido
• Simplifique (Keep it simple)
• Valorize os benefícios da sua marca ou produto
• Use as palavras certas no momento certo
• Apele à emoção
• Seja criativo

O conteúdo ganha valor quando é relevante para o consumidor. A mensagem deve ser clara, concisa, simples e diferente. A criatividade dos conteúdos acrescenta valor.

Como é que o que escrevemos influencia o User Generated Content?

O user generated content ou conteúdo gerado pelo utilizador, tal como o próprio nome indica, envolve todo o tipo de conteúdos que é criado pelos fãs. As fotos e os vídeos feitos pelos utilizadores, os comentários nas redes sociais, os blogues, os fóruns de discussão e a wikipédia são alguns exemplos de user generated content.
Para influenciar os fãs, utilizadores ou consumidor final a divulgar e partilhar conteúdo próprio devemos:

• Criar pontos de interacção e feedback
• Gerar conversações
• Dar voz/poder a uma nova geração cada vez mais opinativa para aumentar a notoriedade da marca

Lembre-se que os seus fãs podem tornar-se os evangelistas da sua marca.
Não há um botão mágico mas há trabalho que exige planeamento prévio.
 




Imagens



Links


 











Artigos Relacionados



2.ago.2011
 
Facebook for Business: o contra-ataque do Facebook ao Google+?
 
 
 
25.fev.2010
 
Consumidores Online Preferem Facebook
 
 
 
9.set.2009
 
Redes sociais não influenciam mulheres
 
 
 
10.abr.2011
 
Uma Equipa de Gestão do Social Media Marketing
 
 
 
23.abr.2011
 
Social Media Killed the Email Star?
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting