22.out.2013


Comprar fãs no Facebook


É comum surgirem pedidos de clientes para comprar bases de dados para acções de e-mail marketing ou de fãs nas redes sociais. É raro o dia em que não tenha de lidar com uma destas situações. Tentarei explicar rapidamente o que na minha opinião significa este tipo de abordagem às redes sociais.

Comprar fãs no Facebook é como pagar a um belo homem ou a uma bela mulher para ir jantar connosco e fazermos boa figura junto dos amigos, só que no final da noite vamos sozinhos para casa.

A compra de fãs no Facebook não serve para nada e inverte totalmente a lógica do que é uma rede social. Uma marca quando está numa rede social deve de estar o mais próximo possível dos seus possíveis clientes. De que serve estar rodeado de pessoas que não ligam nada ao que se está a dizer e nunca irão comprar nada?

Este tipo de abordagem não passa de vaidade. Dizer que temos 1.000.000 de fãs na nossa página e o nosso retorno do investimento (ROI) ser practicamente nulo é meio caminho andado para que no final do mês ou do ano o departamento financeiro venha colocar em causa a pertinência de a marca estar presente nas redes sociais e o investimento que nelas está a ser feito.

A forma de construir uma boa base de fãs, para além do tempo e da qualidade do que publicamos, são os anúncios pagos ou os passatempos. Esta é uma forma legal de atrair fãs e sobretudo futuros consumidores dos nossos produtos ou serviços. Com esta abordagem conseguimos segmentar o nosso público-alvo e conseguem-se obter, seguramente, melhores resultados.

Não há garantias que os utilizadores fiquem constantemente ligados à nossa página, isso é tema para outro artigo, ou vários até, mas pelo menos garante que quem clicou no botão Gosto pode vir a estar próximo da marca e a continuar a interagir com a página. É aqui que entra a luta diária da criação de conteúdos de qualidade e que acrescente valor aos fãs e que faça com que a interacção e o retorno às publicações seja constante.

Acho que não é preciso dizer mais sobre a compra de fãs. Ainda está alguém interessado?

 


 











Artigos Relacionados



28.ago.2009
 
Ranking dos políticos no Facebook
 
 
 
23.set.2012
 
Facebook Search – um concorrente do Google, (ainda) distante no tempo
 
 
 
11.mar.2010
 
Benetton Procura Modelos Online
 
 
 
17.jan.2012
 
A interacção Marca/Seguidor das redes sociais e o impacto nas vendas
 
 
 
5.jan.2009
 
A Guerra da Faixa de Gaza também dá no YouTube
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting