24.jan.2018
estrategias-omnicanal-nos-meios-digitais

Estratégias Omnicanal nos Meios Digitais


A estratégia omnicanal é um dos mantras mais repetidos no que diz respeito a estratégias de Marketing. Parece algo quase intuitivo, mas pô-lo em prática é muito mais difícil do que os Departamentos de Marketing pensam.

 
 
Especificamente, há vários critérios que têm de ser cumpridos para que exista verdadeiramente uma estratégia omnicanal:
  1. O primeiro é a união estratégica dos diferentes departamentos (SEA, Social, Display, Afiliação, Mobile, Inbound Marketing…), mas a verdade é que muitas vezes essa estratégia não existe. Muitas vezes, cada departamento é uma ilha que tenta fazer o melhor para o cliente, sem saber o que os restantes departamentos estão a fazer. Para evitar isto, é essencial que exista um Account que unifique toda a estratégia traçada para esse cliente.
  2. O segundo é a utilização das criatividades em função do canal. Normalmente, isso também não acontece. Para controlar os custos, os clientes acabam por utilizar as mesmas criatividades tanto para emailing como para bannners ou mesmo para conteúdos Mobile.
  3. O terceiro é a utilização de uma página de destino, a landing page, que recebe o tráfego. Neste caso, as pessoas tendem a confundir o conceito de responsive com o de mobile optimized, sendo que apenas este último está verdadeiramente adaptado à navegação móvel. Se optarmos por ter um site responsive, talvez todos os conteúdos sejam visíveis, mas o processo de compra poderá não estar adaptado a Mobile. Por exemplo, não podemos pedir que preencham 8 campos de informação se em Mobile já é um milagre se preencherem 3 campos. Nestes casos, em vez de pedir informação, é preferível criar um botão “click to call”, direcionando esse tráfego a um call center próprio.
  4. Em quarto lugar, esta estratégia omnicanal deve estar interligada com uma estratégia de Automatização de Marketing, tanto a nível de conteúdo, como de emails. Se enviamos utilizadores ao nosso site, mas não estamos preparados para os “engajar”, o nosso esforço não servirá de muito.
  5. Em quinto lugar, devemos conciliar tudo isto com a nossa estratégia de Inbound Marketing, automatizando todos os recursos para os diferentes dispositivos (PC, Tablet ou Mobile).
  6. Por último, devemos adotar um método de medição omnicanal, com um modelo de atribuição que nos permita ver qual o peso de cada canal para a conversão final.
Segundo a nossa experiência, é possível que alguns clientes estejam a seguir os 3 primeiros pontos (e mesmo assim isso é raro), mas já é muito improvável que consigam cumprir os pontos 4, 5 e 6.


 







 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting