Academia   Seminários
 
 
 
 
     
 
2.ago.2011


Facebook for Business: o contra-ataque do Facebook ao Google+?


Com mais uma ofensiva da Google nas redes sociais, os seus concorrentes mais directos – leia-se Facebook – ficaram de sobreaviso para perceber o impacto e a adesão tanto de utilizadores individuais como de empresas.

No entanto, o aparente sucesso imediato do Google+ obrigou a cancelar as contas empresariais nesta nova rede social, com a empresa a clarificar que o seu público não são as empresas (mesmo se já existem formas de contornar as regras impostas).

Aproveitando esta decisão, o Facebook não perdeu tempo para reforçar a sua posição e os serviços que tem para oferecer às empresas, apresentando o Facebook for Business.
Sem trazer nada de novo, trata-se mais de uma reorganização do serviço em si, facilitando a tarefa das pequenas empresas que pretendem ter uma página própria na rede, dando a conhecer as melhores práticas e casos práticos de como as diversas alternativas propostas podem ajudar a melhor o desempenho e resultados das empresas. O relançamento do Facebook Stories, como forma de inspirar empresas através de casos bem sucedidos atingidos por outras empresas acaba por ser uma das mais interessantes novidades da nova área empresarial dentro da rede de Zuckerberg.

Contudo, o maior destaque a considerar é o Facebook reforçar a ideia de que está disponível para receber empresas e que fará o que puder para as encorajar a participarem. Conceitos como criar experiências sociais, construir ou dinamizar relações empresa-cliente ou amplificar efeitos de marketing que as redes sociais representam são enfatizados ao máximo com este serviço. Pretende-se igualmente apagar a ideia de que a criação de anúncios no Facebook é um processo complexo, que poderia afastar muitos anunciantes e empresas de meios.

Não deixa de ser curioso analisar como a guerra entre as duas empresas está tão animada. Há poucas semanas, o Facebook também reagiu prontamente ao anúncio da Google sobre o lançamento de uma nova aplicação de vídeo-chamada, ao apresentar uma colaboração com a Skype.

Se para muitos estas coincidências temporais não passam disso mesmo, outros analistas consideram que o Facebook está a tomar a sério a entrada em força do Google nas redes sociais, acelerando o desenvolvimento de novas aplicações e serviços, que procurem trazer inovação e novas utilidades, que aumentem a satisfação dos utilizadores, seja de que tipo forem.

Aguardam-se por isso novos desenvolvimentos, que à partida trarão mais benefícios aos utilizadores dos serviços de ambas as redes.
 



 










 


Artigos Relacionados


5.fev.2013
A ascensão do Google+ e os ranking actuais das redes sociais
 

 

27.jan.2015
Como verificar uma página Facebook
 

 

30.jul.2012
Estatísticas nas redes sociais
 

 

18.dez.2012
A expansão do Facebook
 

 

22.jun.2010
Quanto valem os seus fãs?
 


 

 
Autores
     
     
    Ver Todos  
 
Formação Inesting