Academia   Seminários
 
 
 
 
     
 
22.jan.2013
Facebook Graph Search

Facebook Graph Search: A pesquisa chegou ao Social


A utilidade da web como imenso repositório de informação cedo levantou um problema relacionado: como encontrar aquilo que se procura? E quanto mais cresce e se torna complexa a quantidade de dados digitais, mais importante se torna a necessidade de rapidamente aceder à informação, esperando sempre que os infomediários façam um bom serviço de nos apresentar a melhor opção de entre as possíveis alternativas.
 
O tipo de infomediário melhor sucedido nesta missão é o motor de busca, que sobretudo através da análise de como as páginas estão linkadas entre si, consegue algoritmicamente dizer qual a página mais relevante para determinada pesquisa.
 
Na passada semana o Facebook lançou ainda numa versão Beta, o “Graph Search”, uma funcionalidade que permite pesquisar a informação guardada no Facebook. Mark Zuckerberg afirmou que com o News Feed e o Timeline, o Graph Search será um dos pilares desta rede social.
 
Para já a funcionalidade ainda está em BETA e apenas disponível para EUA, pelo que provavelmente teremos que esperar umas semanas até podermos a testar em primeira mão.

Com esta ferramenta será mais fácil encontrar por exemplo pessoas na nossa cidade com os mesmos interesses que nós, ou amigos que foram a Paris o ano passado.
 
As pesquisas no Facebook Graph Search virão filtradas pela nossa envolvente social, com grande preponderância das preferências dos nossos amigos. Por exemplo podemos passar a ir ao Facebook procurar um restaurante, sabendo que vamos obter resultados de acordo com as recomendações gastronómicas dos nossos amigos.
 
Para as empresas isto reforça a importância de ter uma Facebook Page devidamente identificada, com informação actualizada e dinâmica, e uma comunidade activa — o like, deixa de ser apenas um voto, passa a ser uma recomendação.
 
O Google pode estar descansado… 
Esta funcionalidade parece-me bastante útil para fazer o Facebook subir um patamar naquilo que já faz: relacionar pessoas. Será mais forma de estabelecer ligações ou aprofundar as ligações que já existem. Será também importante para substituir a funcionalidade de pesquisa actual, que é tão má, que muitas vezes devolve o resultado errado, mesmo quando se pesquisa exactamente por aquilo que se quer.
 
Agora enquanto ferramenta de pesquisa para encontrar produtos ou serviços, é muito menos eficaz que um motor de busca tradicional. Afinal qual das metodologias tem maior probabilidade de me devolver um resultado satisfatório? O que se baseia nas preferências da nossa rede de amigos sociais (e quantos de vós pergunto tem o habito de fazer like depois da visita a um restaurante, florista ou dentista), ou o que se baseia na inteligência das multidões, reconhecida pela leitura dos milhões de links que formam toda a web?
 
A informação social, nascida dos “social media” não deve ser negligenciada, e os motores de busca já tentam incluir nas suas versões mais recentes de algoritmo “social signals” para lhes dar essa sensibilidade. Parece-me que o futuro da pesquisa será mais por esta via.
 



 


Links


 










 


Artigos Relacionados


19.nov.2009
O evangelho segundo a internet
 

 

8.mai.2012
F-Commerce: expectativas e realidade
 

 

17.jul.2012
SEO para Páginas de Facebook – Boas-Práticas para melhorar o Ranking de uma Página Facebook
 

 

25.ago.2014
O fim do fan gate do Facebook
 

 

20.dez.2011
Viagens aéreas sociais
 


 

 
Autores
     
     
    Ver Todos  
 
Formação Inesting