Academia   Seminários
 
 
 
 
     
 
22.jan.2013
Facebook Graph Search

Facebook Graph Search: A pesquisa chegou ao Social


A utilidade da web como imenso repositório de informação cedo levantou um problema relacionado: como encontrar aquilo que se procura? E quanto mais cresce e se torna complexa a quantidade de dados digitais, mais importante se torna a necessidade de rapidamente aceder à informação, esperando sempre que os infomediários façam um bom serviço de nos apresentar a melhor opção de entre as possíveis alternativas.
 
O tipo de infomediário melhor sucedido nesta missão é o motor de busca, que sobretudo através da análise de como as páginas estão linkadas entre si, consegue algoritmicamente dizer qual a página mais relevante para determinada pesquisa.
 
Na passada semana o Facebook lançou ainda numa versão Beta, o “Graph Search”, uma funcionalidade que permite pesquisar a informação guardada no Facebook. Mark Zuckerberg afirmou que com o News Feed e o Timeline, o Graph Search será um dos pilares desta rede social.
 
Para já a funcionalidade ainda está em BETA e apenas disponível para EUA, pelo que provavelmente teremos que esperar umas semanas até podermos a testar em primeira mão.

Com esta ferramenta será mais fácil encontrar por exemplo pessoas na nossa cidade com os mesmos interesses que nós, ou amigos que foram a Paris o ano passado.
 
As pesquisas no Facebook Graph Search virão filtradas pela nossa envolvente social, com grande preponderância das preferências dos nossos amigos. Por exemplo podemos passar a ir ao Facebook procurar um restaurante, sabendo que vamos obter resultados de acordo com as recomendações gastronómicas dos nossos amigos.
 
Para as empresas isto reforça a importância de ter uma Facebook Page devidamente identificada, com informação actualizada e dinâmica, e uma comunidade activa — o like, deixa de ser apenas um voto, passa a ser uma recomendação.
 
O Google pode estar descansado… 
Esta funcionalidade parece-me bastante útil para fazer o Facebook subir um patamar naquilo que já faz: relacionar pessoas. Será mais forma de estabelecer ligações ou aprofundar as ligações que já existem. Será também importante para substituir a funcionalidade de pesquisa actual, que é tão má, que muitas vezes devolve o resultado errado, mesmo quando se pesquisa exactamente por aquilo que se quer.
 
Agora enquanto ferramenta de pesquisa para encontrar produtos ou serviços, é muito menos eficaz que um motor de busca tradicional. Afinal qual das metodologias tem maior probabilidade de me devolver um resultado satisfatório? O que se baseia nas preferências da nossa rede de amigos sociais (e quantos de vós pergunto tem o habito de fazer like depois da visita a um restaurante, florista ou dentista), ou o que se baseia na inteligência das multidões, reconhecida pela leitura dos milhões de links que formam toda a web?
 
A informação social, nascida dos “social media” não deve ser negligenciada, e os motores de busca já tentam incluir nas suas versões mais recentes de algoritmo “social signals” para lhes dar essa sensibilidade. Parece-me que o futuro da pesquisa será mais por esta via.
 



 


Links


 










 


Artigos Relacionados


22.out.2013
Quanto tempo dura um link nas redes sociais?
 

 

30.jul.2012
Estatísticas nas redes sociais
 

 

4.dez.2012
Formatos de Publicidade no Facebook – Ofertas Facebook – Parte 1
 

 

6.nov.2012
Algumas subtis alterações no Facebook...
 

 

14.fev.2012
Cillit Bang vende produto exclusivamente via Facebook
 


 

 
Autores
     
     
    Ver Todos  
 
Formação Inesting