11.nov.2009
Fenómeno dos saldos ataca social media

Fenómeno dos saldos ataca social media


Mulheres e homens, consumidores em geral, movem-se, em massa, por um fenómeno comum. São os saldos - eles próprios - na sua forma mais conhecida, ou sob a capa de promoções e descontos. No online, o caso não é excepção.

Foi realizado um estudo que permite constatar isso mesmo. Um terço dos utilizadores de redes sociais como o Facebook e o MySpace que se associam a uma marca, fazem-no com o objectivo de obter certos privilégios relacionados com a mesma, nomeadamente acesso a ofertas exclusivas e descontos. O número foi ainda maior - 44% - para pessoas que seguem uma marca no Twitter.
 
O estudo referiu a Dell, Amazon e Starbucks como marcas que conquistaram um grande número seguidores recorrendo a plataformas de social media para apresentar ofertas regulares e descontos. A Starbucks, por exemplo, acumulou cerca de 5 milhões de fãs no Facebook, em parte, pelos frequentes posts que faziam alusão a produtos gratuitos e descontos.
 
Actualmente, os consumidores possuem um papel mais activo com as marcas, alterando as suas percepções e padrões de consumo. Os dados revelam que 40% dos utilizadores do Facebook ou MySpace têm marcas no seu círculo de amigos e 26% seguem-nas no Twitter.
 




Fontes



Links


 











Artigos Relacionados



22.out.2013
 
Quanto tempo dura um link nas redes sociais?
 
 
 
18.dez.2012
 
A expansão do Facebook
 
 
 
22.mai.2013
 
O RSS morreu?
 
 
 
23.set.2012
 
Facebook Search – um concorrente do Google, (ainda) distante no tempo
 
 
 
2.ago.2011
 
Facebook for Business: o contra-ataque do Facebook ao Google+?
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting