17.dez.2013
A Monetização de Vídeos YouTube

A Monetização de Vídeos YouTube


A forma mais comum de rentabilizar um conteúdo web é através de publicidade e as redes de afiliados (que existem em diferentes formatos ) vieram democratizar essa forma de monetização.
 
Assim, e sem ter a necessidade de uma estrutura pesada por trás, ou grandes conhecimentos técnicos, é possível a qualquer pessoa, tentar monetizar os conteúdos que coloca online. O desafio seguinte é a questão da escala: pois quantas mais visitas maior o retorno.

A rede de afiliados mais popular é Google AdSense, cujos sites foram a “Google Display Network” acessível aos anunciantes através da plataforma Google AdWords. A receita directa que depois, os cliques nesses anúncios gerarem nos diferentes sites, é partilhada entre a Google (proprietária da rede) e os provedores de conteúdos. Durante muitos anos nunca foi revelado como era feita essa partilha, mas esse mistério terminou, e agora é sabido que 32% ficam para o Google, o restante para os proprietários dos sites.
Com a compra do YouTube por parte da Google, iniciou-se uma nova fase da monetização de conteúdos. Desde o início se soube que a estratégia passaria por introduzir publicidade associada aos vídeos, o que veio a levantar a questão: se o Google está a ganhar dinheiro devido às visualizações que o meu vídeo gera, não deveria eu receber uma parte das receitas?
A resposta é obviamente sim, e nasceu assim a possibilidade de monetização dos conteúdos vídeo, que funcionam muito similarmente ao modelo mais tradicional.
 
Depois de garantir que são cumpridos alguns requisitos de base, como o facto de os vídeos terem de cumprirem as directrizes de conteúdo YouTube, e respeitarem integralmente as regras de direito de autor (pois porque seria muito fácil, mas ao mesmo tempo ilegítimo tentar ganhar dinheiro com vídeos populares que não são nossos), basta fazer uma ligação entre o canal YouTube dos vídeos, com a conta AdSense que recebe as receitas.
 
E quanto se pode ganhar? 
 
Aqui é difícil ser taxativo porque o Google não divulgou como partilha as receitas que gera neste canal, mas podemos fazer um pouco de reverse engineering e ter uma ideia da receita são geradas em média por cada visualização de vídeo.
Sabendo que em 2013, ser prevê que o YouTube gere 5,6 mil milhões de dólares em receitas de publicidade, e os seus vídeos geram 4 mil milhões de visualizações diárias, obtém-se uma receita de cerca de 4000 dólares por cada milhão de visualizações.
 
Se assumirmos um pressuposto de 50% na divisão das receitas, podemos estar a falar de um retorno de cerca de 1500 euros por cada milhão de visualizações, por isso… toca a fazer vídeos.
 


 











Artigos Relacionados



27.mai.2014
 
Pinterest lança Pins Patrocinados
 
 
 
10.abr.2012
 
Modelos de publicidade em portais de viagens
 
 
 
8.jan.2013
 
Formatos de Publicidade no Facebook – Histórias Patrocinadas e Posts Promovidos – Parte 2
 
 
 
13.mai.2008
 
MEO com campanha viral interactiva
 
 
 
23.fev.2015
 
Era uma vez… uma Marca
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting