21.jan.2014
alcance no facebook

Será que o alcance no Facebook realmente interessa?


Muito se tem falado nos últimos tempos sobre as alterações ao algoritmo do Facebook e à queda do alcance das publicações feitas pelas páginas. Será realmente assim ou será que estamos todos a exagerar e estamo-nos a preocupar com tudo menos com o que realmente interessa?

É verdade que o Facebook está constantemente a alterar a plataforma e a criar novos desafios para quem gere a presença de marcas na rede social, mas também é verdade que a maioria dos gestores de redes sociais vivem obcecados com números que não servem para nada.

O número mais debatido nas últimas semanas tem sido o alcance das publicações, ou seja: Quantas pessoas vêem aquilo que publicamos. Mal começaram a sair notícias sobre a alteração do algoritmo do Facebook a histeria foi geral. A grande maioria começou a dizer “Então isto quer dizer que agora para se conseguir chegar a mais fãs é necessário pagar?” A resposta a esta questão é: Sim, é verdade. Mas sempre foi assim, então porquê tanta comoção?

Há vida para além do alcance das publicações Facebook. Estar apenas atento a este número e não prestar atenção a outros indicadores é o primeiro passo para o abismo.

Primeiro de tudo convém estar ciente de que nunca vamos chegar ao total da nossa base de fãs. O Facebook mostra aos utilizadores aquilo que o seu algoritmo diz que estes mais gostam ou com quem têm uma maior proximidade. Os factores que contam para este ranking, de forma muito resumida, são as interacções que o utilizador tem com as publicações: Gostos, Comentários e Partilhas.

Então, em vez de andarmos todos preocupados com o alcance das nossas publicações, que tal se nos preocupássemos com a qualidade daquilo que publicamos? Que tal produzir conteúdos que acrescentem valor aos fãs em vez de viver obcecado com o número de pessoas que são alcançadas ou de quantas clicam no botão “Gosto”? Que tal fazer as contas ao tempo investido na gestão das redes sociais e cruzar com o possível negócio gerado por estas acções de marketing?

 


 











Artigos Relacionados



3.jan.2012
 
Consumidores desconfiam do Facebook para fazer compras
 
 
 
30.mai.2012
 
O Euro2012 nas Redes Sociais
 
 
 
5.fev.2013
 
A ascensão do Google+ e os ranking actuais das redes sociais
 
 
 
18.dez.2012
 
A expansão do Facebook
 
 
 
2.ago.2010
 
Hotelaria em grande nos Social Media
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting