29.jul.2015
algoritmo Google Panda

Nova actualização de algoritmos Google: Panda 4.2


Na última semana de Julho, a Google introduziu uma nova evolução do seu algoritmo Panda, na versão 4.2. Uma novidade, o lançamento será gradual no tempo, o que trará resultados também diferidos no tempo.

Mas em que consiste esta evolução do Panda?

Para começar, parece tratar-se exactamente de uma evolução, em vez de actualização, retomando muitos dos indicadores já conhecidos. Além disso, a Google confirmou que apenas 2 a 3% das pesquisas serão afectadas, um número inferior ao verificado nas versões Panda lançadas em 2014, que atingiram entre 3 a 7,5% dos resultados.

No entanto, a partir do momento em que é lançada, torna-se tarde para reagir e será necessário esperar pela próxima versão do algoritmo, para que se possa verificar o impacto das adaptações. Tal é válido tanto para correcções ao site com resultados positivos mas também negativos.

Pela análise de evoluções anteriores, é de esperar algumas melhorias de ranking em sites pequenos e médios mas desta vez, o lançamento gradual do algoritmo revisto trará algumas complicações adicionais em perceber quais os efeitos. Será ainda necessário descontar algumas afinações feitas pela Google, que poderão causar alguns picos ou quebras de tráfego orgânico, que serão corrigidas de seguida.

Uma grande questão que se tem colocado é saber até que ponto o Google Panda poderá ganhar maior peso dentro dos algoritmos. Alguns analistas indicam que esse poderá ser um caminho, com estas evoluções intermédias a não serem mais que testes e afinações para incorporar estas características de avaliação dos conteúdos de forma mais sistemática e sem os atrasos e demoras na implementação, que se têm feito sentir.


 











Artigos Relacionados



22.jan.2008
 
Google lança Guia Rápido para o Webmaster Tools
 
 
 
26.dez.2007
 
Quanto factura a Google?
 
 
 
23.jul.2008
 
Just Google it!
 
 
 
2.abr.2013
 
Em terra de Publicidade Display, o Google também é Rei
 
 
 
12.jul.2009
 
Google melhor que Bing, que é melhor que Yahoo... diz o Citigroup
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting