Academia   Seminários
 
 
 
 
     
 
15.fev.2011
Meta Tags

SEO e Meta Tags: valerá ainda o esforço?


As Meta Tags são elementos de uma página HTML utilizados para fornecer informação sobre ela sem que tal se reflicta sobre o conteúdo que é visualizado pelo visitante.

O motivo porque entraram no léxico de muitos leigos reside no facto dos motores de busca, especialmente no início, se apoiarem bastante nelas para determinar os seus rankings. Mas mesmo agora que os algoritmos de ordenação dos motores de pesquisa, usam formas mais sofisticadas de determinação do assunto e qualidade de uma página, as “Meta Tags” continuam a gerar muita curiosidade.

Este artigo tentará fazer incidir um pouco de luz sobre elas, desmistificando o seu actual papel e indicar de forma elas ainda são úteis na optimização de um site para os motores de busca.

A primeira parte versará sobre aquelas que são mais populares, ficando para a próxima edição a discussão sobre outras muito pouco utilizadas mas que podem ajudar a aumentar o controlo do webmaster sobre a forma como as suas páginas são indexadas.

1. Meta Description

A Meta Description serve para descrever numa frase curta todo o conteúdo da página. Uma boa analogia pode ser feita se a compararmos com o desenvolvimento de uma sinopse ou um abstract de um artigo científico.
Deve ser criada especificamente para cada página do site, já que cada página tem um conteúdo e um objectivo diferente, e conter nela as palavras-chave alvo respectivas.

Tecnicamente não tem que cumprir nenhuma dimensão máxima, embora se considere que não deverá ir além dos 170 caracteres. O motivo reside igualmente na razão porque é uma meta tag importante. É que apesar de hoje em dia pouco contar para a determinação dos rankings nos motores de busca, o seu conteúdo é passível de ser exibido por debaixo do link do site numa página de resultados dos motores de busca (o conteúdo desta área – chamado snippet – possui mais ou menos aquele volume de caracteres).

Assim mais que meramente descritivo deverá ser, sobretudo naquelas páginas mais importantes, eminentemente comercial, indicando porque motivo o utilizador deverá visitar a página. Incluir um call to action no final é recomendado.

2. Meta Keyword

Esta Meta Tag é a companheira inseparável da anterior embora não possua nem de perto nem de longe a sua importância.

Aqui o objectivo é resumir através de uma lista de palavras-chave o conteúdo da página em questão – também aqui a analogia com um artigo científico pode ser feita.

Nos primórdios dos motores de busca era uma Meta Tag importante na definição dos rankings e por isso foi usada e abusada até a exaustão sendo um local excelente para fazer Search Engine Spam, utilizando-a para fazer o site ser exibido para pesquisas de grande tráfego e não propriamente relevantes.

Por esta razão passou a ter cada vez menos peso, e hoje será inclusive polémico dizer que tem algum. De facto não andarei longe da verdade, se afirmar que se uma página não utilizar esta Meta Tag, não será em nada prejudicado.

Por isso questões ainda populares como “quantas palavras-chave poderei incluir nesta Meta Tag?” ou “como devo separa-las: com um espaço ou uma virgula?” são perfeitamente inconsequentes. É indiferente, embora como cada página não deva ter mais que 5 ou 6 palavras-alvo, é natural que o desenvolvimento de uma Meta Keyword não abarque dezenas delas.

Há ainda quem a utilize para lá colocar palavras-chave com erros ortográficos, já que é um local que não é visualizado pelos visitantes humanos da página, não tendo por isso impactos negativos na credibilidade da marca.

3. Meta Robot

Uma meta tag importante porque tem como objectivo interagir com os robots dos motores de busca, fornecendo-lhe indicações sobre o comportamento a ter no que respeita à indexação da página. É no fundo uma alternativa à utilização do ficheiro robots.txt.

São quatro as indicações que podem ser dadas:

i. index, follow
O robot deverá indexar a página e seguir os links nela presentes. Por defeito é a acção que os robots tomam, por isso não vale a pena criar uma meta robot para dar esta indicação.

ii. index, nofollow
A página deverá ser indexada, mas os seus links não devem ser seguidos.

iii. noindex, follow
Perante esta indicação o robot não deverá indexar os conteúdos da página, mas poderá seguir os seus links para outras páginas.

iv. noindex, nofollow
Neste caso o robot não deverá nem indexar a página nem seguir os seus links.

Por vezes acontece na fase de desenvolvimento de um site colocar a indicação noindex para garantir que páginas de teste não surgem nos motores de busca de forma inadvertida, que depois fica esquecida e ser a fonte de muitas dores de cabeça por não se entender porque razão o site não é indexado.

Por outro lado se o objectivo é mesmo bloquear o acesso dos motores de busca, então o mais seguro e usar todas as hipóteses disponíveis: Meta Robot + Robots.txt



 










 


Artigos Relacionados


9.mai.2011
Um olhar sobre o update Google Panda: como o Google entende a Qualidade de uma Página
 

 

4.mar.2013
SEO ou PPC: o que é mais eficaz?
 

 

13.jun.2008
4 Erros SEO cometidos por sites de Comunicação Social Portugueses
 

 

17.ago.2014
Google envia um sinal à Web: Passem a usar HTTPS
 

 

21.mai.2012
Um vislumbre sobre o Google Penguin
 


 

 
Autores
     
     
    Ver Todos  
 
Formação Inesting