Academia   Seminários
 
 
 
 
     
 
4.mar.2013
seo-vs-ppc

SEO ou PPC: o que é mais eficaz?


Para poder responder com precisão à questão “qual é mais eficaz?”, se o search engine optimization (SEO) ou o pay per click (PPC), primeiro é necessário conhecer quais os objectivos/necessidades da empresa em análise, já que ambas as técnicas têm vantagens e desvantagens.
 

Com o PPC, uma empresa consegue exibir o seu anúncio na secção de resultados patrocinados na página de um motor de busca. Cada vez que o anúncio recebe um clique, que é direccionado para a página Web da empresa publicitada, esta última paga um fee. O PPC é ideal quando se pretende aumentar os níveis de tráfego num curto espaço de tempo e se está disposto a pagar por esses resultados. Além disso, trata-se de uma técnica flexível, que permite ser facilmente actualizada ou modificada.
Porém, existem desvantagens associadas a esta técnica. Em primeiro lugar, o PPC implica um investimento financeiro. Depois, há que ter em conta que a classificação do anúncio (isto é, a sua localização no motor de busca) depende do quanto está disposto a gastar e do índice de qualidade do seu anúncio (isto é, da qualidade do anúncio, das palavras-chave e do Website em questão). Desta forma, nem todos os anúncios ocupam os primeiros lugares na lista de resultados, o que diminui as probabilidades de serem percebidos pelos cibernautas, se tivermos em consideração os resultados dos testes de usabilidade da Nielsen feitos com eye tracking.
 
Em suma, com o PPC será necessário testar várias possibilidades até se conseguir o resultado desejado.
Por outro lado, se a empresa não tem urgência em se encontrar nas primeiras posições de uma procura num motor de busca, então poderá fazer mais sentido investir no SEO.
Com esta técnica o tempo que se espera é compensado por uma consolidada posição nas desejadas localizações nos motores de busca, já que grande parte dos cliques feitos pelos cibernautas tem origem orgânica. Segundo o estudo da GroupM UK e da consultora Nielsen esse número representa 94%.
 
Adicionalmente, dispor de posições top nos rankings de busca não só se traduz em mais tráfego, como também reflecte uma posição relevante do seu negócio/site na área em causa. Mas para que tal aconteça, há que seguir algumas “best practices” em SEO. Por exemplo, a criação de conteúdo relevante ajuda na obtenção de bons resultados, mas não basta. As ligações ou referências de outras páginas Web para a nossa são igualmente cruciais, pois dão relevância à pagina Web, determinando a sua localização no motor de busca.
Também o SEO tem desvantagens. Os algoritmos de mecanismos de busca estão em constante evolução e quando tal acontece, os sites que foram optimizados de uma forma podem perder os rankings que até então detinham.
Em suma, para poder escolher a melhor estratégia será necessário ter em conta essencialmente dois factores: a urgência ou não em obter resultados e o orçamento disponível. O ideal será integrar as duas técnicas, já que se complementam.
Se tivesse que escolher apenas uma a minha preferência vai para o SEO, visto que é uma estratégia gratuita com resultados duradouros a longo prazo.
 



 










 


Artigos Relacionados


22.jan.2008
Google lança Guia Rápido para o Webmaster Tools
 

 

28.nov.2007
Palavras-Chave no URL: influenciarão os Rankings nos Motores de Busca?
 

 

10.abr.2012
Tipos de Pesquisadores - O Egocêntrico
 

 

4.out.2012
Diferenças do Keyword Research para SEO e para Pesquisa Paga
 

 

26.ago.2015
O futuro do SEO: a evolução para o SXO
 


 

 
Autores
     
     
    Ver Todos  
 
Formação Inesting