5.jul.2011


Uma nova estrela nas redes sociais?


Lançado em Agosto de 2010, o BranchOut surgiu como uma simples aplicação que se limitava a mostrar aos utilizadores onde trabalhavam os seus amigos. Desde então, a empresa de desenvolvimento liderada por Rick Marini tem procurado alargar o seu âmbito, tentando encorajar a sua utilização por aqueles que procuram um novo trabalho.

Actualmente, o BranchOut é visto como uma aplicação híbrida, que combina o lado profissional do LinkedIn, com o lado mais lúdico do Facebook, sendo que se encontra integrada na maior rede social do mundo, utilizando a rede de contactos do Facebook para alcançar maior número de utilizadores, ao mesmo tempo que permite a importação do perfil do LinkedIn.

O objectivo da sua criação foi o de procurar responder a uma necessidade de tirar partido das redes sociais para a área de recrutamento, o que não é totalmente conseguido pelo LinkedIn – um utilizador pode no BranchOut criar as suas próprias oportunidades de emprego, o que não é possível no LinkedIn, se não se for administrador de uma página de empresa. No entanto, o BranchOut apresenta uma limitação, pois os anúncios colocados serão apenas visíveis por parte dos amigos e dos amigos dos amigos, o que acaba por também restringir o alcance (estão previstas contas Premium, que mediante um pagamento, permitirão tornar públicas quaisquer publicações colocadas por um utilizador).

Criado em 2003, o LinkedIn apresenta ainda uma vantagem importante sobre aquele que é já considerado o seu maior concorrente. Alguns serviços, como os Grupos, as notícias, não estão disponíveis no BranchOut. O serviço de mensagens é também mais desenvolvido no LinkedIn. No entanto, analistas consideram que comparar os dois serviços não faz sentido. O principal aspecto é os utilizadores pretenderem manter bem definidos os limites entre o que são assuntos profissionais e o que são assuntos particulares. E o BranchOut, ao estar integrado no Facebook, acaba por misturar os dois conceitos, pois ter as fotografias das férias ao mesmo tempo que se trata de mudança de emprego não permite definir os campos.

Do lado dos utilizadores, as opiniões não são unânimes – enquanto muitos se congratulam com esta nova aplicação do Facebook, outros não se mostram muito interessados, contestando ser a rede social o local mais correcto para se procurar emprego. As estatísticas mostram que muitos daqueles que procuram um novo desafio profissional recorrem às redes sociais, ainda que apenas 1% consigam encontrar uma nova colocação por esta via.

Os responsáveis pelo BranchOut afirmam que os novos desenvolvimentos que estão em projecto serão a chave para um ainda maior crescimento da aplicação, alegando que com o tempo, a habituação ao conceito mostrará os verdadeiros aspectos positivos e negativos de algo que poderá ter grande impacto sobre a carreira profissional das pessoas.

Para já, as expectativas são grandes: nas últimas semanas de Junho, o número de utilizadores cresceu de 32.000 para 1,5 milhões, e sabendo-se que o Facebook tem já 750 milhões de utilizadores, o potencial de crescimento é enorme. Será este um fenómeno a seguir nos próximos tempos, e de certeza que o LinkedIn (actualmente com 100 milhões de utilizadores) fará o mesmo.


 











Artigos Relacionados



23.abr.2011
 
Social Media Killed the Email Star?
 
 
 
27.jan.2015
 
Como verificar uma página Facebook
 
 
 
4.set.2008
 
Estão as redes sociais a perder o interesse?
 
 
 
16.mai.2008
 
Os Motores de Busca podem vir a temer os Social Media?
 
 
 
25.fev.2010
 
As surpreendentes estatisticas sobre redes sociais
 
 
 
 




Autores
     
     
     
 
Formação Inesting